O Instituto Inhotim está localizado em Brumadinho, Minas Gerais e é considerado hoje um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do mundo, além de ser o maior centro de arte ao ar livre da América latina. Conta com galerias, edificações, mata atlântica e cinco lagos ornamentais. São 140 hectares e 23 pavilhões de total integração entre arte e meio ambiente.

Em homenagem aos 10 anos do Inhotim, a Wäls criou uma linha com três cervejas especiais e na última quinta-feira, organizou uma visita guiada ao museu. A primeira visita noturna entrou pra história. Fomos recepcionados pelos mestres José Felipe e Tiago Carneiro, da Wäls e pelo diretor executivo do Instituto, Antônio Grassi. Em cada parada éramos surpreendidos por uma das cervejas e por muita história.

A primeira parada foi diante a uma capela construída por moradores da região, hoje restaurada e parte de museu. Foi-nos apresentada a primeira cerveja da linha, a Wäls Inhotim Reticulata, uma Witebier que representa o cultivo da mexirica, fruta típica da região.

A segunda parada foi em meio a um jardim de orquídeas iluminadas por luzes artificiais e pela lindíssima lua. Brindamos a elas com a Wäl Inhotim Walkeriana, uma Farmhouse Ale com toque de baunilha, que foi agraciada pelo nome da orquídea mais perfeita do mundo.

A terceira parada foi no topo mais alto, em frente a instalação Beam Drop, feita de vigas de metal que foram lançadas em cimento fresco assumindo sua forma atual. E foi em meio a tanta beleza que conhecemos a Wäls Inhotim Impetus. Uma Red IPA defumada, de cor âmbar que se mistura às cores da obra.

Ao final desse tour vivenciamos um delicioso coquetel pelo Alma Chef, ao som de jazz ao vivo. Uma experiência fantástica, inesperada e inesquecível. Agradecemos ao Inhotim, aos irmãos José Felipe e Tiago Carneiro, à Wäls e a Jaqueline Oliveira Silva, por ter cedido algumas fotos e por ter lembrado do Barba.

Vocês já experimentaram essa linha maravilhosa? Contem aqui o que acharam!

Um abraço!